Hoje é dia Internacional da Fotografia. Particularmente acho um dia muito especial para nós fotógrafos. Porque é um dia de sintonia entre todos esses artistas independente do seguimento, do estilo e das influências, não levando em conta se é comercial ou não, se trabalha artisticamente ou não.

A rotina da pós-sessão é tão mentalmente cansativa e diversas vezes nos dá um branco criativo. Nos cobramos demais e sempre pensamos coisas como: Como posso ser mais “artista”? Como posso fotografar melhor? Editar melhor? Como posso me vender melhor? Me divulgar melhor? Como posso me proteger destas preocupações e como posso manter a preocupação com elas? Pensamos nestas constantemente, cada um em seu grau.

Volta e meia vemos alguém reclamando que fulano não está cobrando pelos ensaios ou está cobrando barato demais. Até mesmo reclamam que fulano está cobrando muito caro. Que seu trabalho é isso, é aquilo… etc. Mas hoje, no Dia Internacional da Fotografia, nós fotógrafos cosplay, deveríamos refletir em como o cenário da fotografia neste meio melhorou ao ponto de questionarmos sobre cobranças ou não. Hoje ficamos loucos atrás de locações porque o cliente quer contextualização para suas fotos, ele quer… uma cena para seu cosplay. Isso não existia antes. Não essa preocupação, esse cuidado.

project_cosplay-portrait_10_by-ronaldo-ichi

Temos cosplayers correndo atrás de fotos de qualidade para poder se vender visualmente, como toda modelo ou promoter faz. E temos as cosplayers que somente desejam uma boa foto, bonita, seja externa ou em eventos, para curtir seu hobby, seus amigos e registrar seu personagem que deu tanto trabalho para fazer. Hoje temos… Diversificação. Antes, não havia tanto.

Somos afetados pelos trabalhos do colega da mesma cidade, do outro estado, de outro país… Somos influenciados por americanos, europeus, russos, chineses, japoneses… Agregamos suas técnicas às nossas, suas luzes, seus retratos, suas internas e externas… Nos globalizamos já que as redes sociais nos empurram naturalmente a isso.

fc4f1-jane-shepard_kate_by_ronaldo-ichi_01

85991-harley-quinn_kate_09_by_ronaldo-ichi-caa0f4c1-holo-lawrence_nick-rin_01_by_ronaldo-ichi_caaA fotografia cosplay está lentamente deixando de ser meramente conceitual para se tornar um subgênero bem definido. E aos poucos, os “pré-conceitos” vindo de fotógrafos de outras áreas também vão diminuindo, lentamente, mas diminuindo. Bons trabalhos, bons projetos, fotos bem executadas vão quebrando essas barreiras.

Sobre os relacionamentos entre os fotógrafos, até no meio cosplay como em qualquer outro meio de convivência, também existe concorrência, também há “competição”. É normal. Até saudável quando levada na esportiva, no bom humor, e quando você percebe que colegas estão evoluindo e você também precisa evoluir. Precisa repensar seu trabalho, suas técnicas, seu jeito de fazer as coisas e repensar também o seu jeito de pensar. Quando todos evoluem, seja qual for a motivação e razão, o meio fotográfico como um todo cresce.  Por isso precisamos crescer individualmente para também, individualmente e com estilos próprios, agregar valor a nossa comunidade fotográfica. Precisamos nos libertar de velhos hábitos como analisar criteriosamente o trabalho alheio em busca de defeitos, discutir calorosamente sobre qual fabricante de câmera é melhor, diminuir o trabalho do colega para enaltecer o seu próprio. E principalmente, aceitar que pessoas diferentes têm visões, estilos, influências e metas fotográficas diferentes. Como seres humanos, a diversidade genética garantiu nossa sobrevivência. Na fotografia, a diversidade também age da mesma maneira. Então respeito e empatia é uma evolução necessária para nossa classe principalmente.

Então vamos focar em nossos trabalhos, nossas realizações porque todos temos um longo caminho fotográfico para trilhar.

E parabéns para todos neste dia!

Advertisements